Informações Turísticas

Atenção você, leitor! Quando passar por aqui, deixe um comentário. Ao menos um "Oi. Tudo bem?" , "Certinho?" , ou algo assim. Ok!? Muito obrigada!!!!

Nine - The Movie


Depois de muito tempo, decidi escrever.
E nada melhor do que falar sobre um bom filme. Nine. Apesar de todas as cenas que vazaram, as músicas e tudo mais, confesso que nunca pensei que o filme seria tão bom. Mesmo com todo aquele elenco.


Sei que estou atrasada para comentar este filme e que muitos de vocês já devem ter visto, mas estou há dias digerindo cada cena.
Vamos pelo elenco, então.
Daniel Day-Lewis (Guido Contini) - Depois de muito tempo, o que vemos aqui é exatamente todo o seu potencial. Daniel simplesmente respira Guido Contini. Em nenhum momento conseguimos lembrar do ator ou de personagens por ele interpretados em outros filmes. Ele está simplesmente esplêndido, no papel de diretor obcecado e atormentado por estas mulheres. (Mas, convenhamos, com este elenco quem não surtaria?)


As mulheres parecem interpretar o que realmente são. Vejamos:
Marion Cotillard (Luisa Contini) - Classicamente elegante. Em certos momento lembra Audrey Hepburn em Breakfast at Tiffany's. Ela interpreta a esposa de Guido. Uma mulher elegante, encantadora e de uma força que te arrebata de uma maneira incrível. O efeito que ela causa na tela é o mesmo que ela conseguiu em Piaf. Ouso dizer que ela rouba o filme.


Penélope Cruz (Carla) - A amante passional e ardente. Espontânea, de movimentos largos, quase cômica, quase caricata. Linda. Ela dá uma aula para todas as mulheres enquanto canta "A call from Vatican". Lindo de ver.


Nicole Kidman (Claudia) - A inspiração de Guido. Ela é a atriz principal de seus filmes. Apesar de estar linda no filme, Nicole não mostra a atriz que é. De uma certa forma, ela está até bem "sem-gracinha", salvo a cena do chafariz em Piazza Navona, lembrando a cena antológica de Anita Ekberg, em "La Dolce Vita" (Fellini). A coincidência deve ser proposital.


Judy Dench (Lilli) - Diva. Ela tem uma suavidade absurda em cena. Alguém que transpira sabedoria e confiança. É quase um colo de mãe. Judy interpreta Lilli, a figurinista dos filmes de Guido, mas não é só isso. Ela é o refúgio deste atrapalhado diretor. De origem francesa, traz toda a magia dos palcos franceses à cena. Pra sempre, diva.


Sophia Loren (Mamma) - Pura elegância. Ainda diva. Apesar das plásticas faciais, continua linda, elegante e traz encanto e calma, aconchego para as cenas com seu filho Guido. Só um detalhe: ela está morta. É apenas a presença forte desta mulher guerreira que aparece para Guido em momentos de maior confusão. Linda.


Kate Hudson (Stephanie) - Uma jornalista cheia de vida e energia da Vogue, que tenta seduzir Guido. Acho que acertaram o tom com ela. Em nenhum momento tentaram transformar a Kate em uma mulher hiper sensual. O que aparece é uma menina, divertida, encantadora, com um sorriso sem igual e com um certo charme. Até mesmo em "Cinema Italiano" ela dá um show sem ser forçado. Aliás, canta muito bem. (Vou parar por aqui pois a Kate é minha atriz favorita e seria muito parcial da minha parte falar dela. Sou completamente apaixonada por ela.)





Fergie (Saraghina) - É uma vadia. Simples assim. Ela interpreta a primeira mulher da vida de Guido, ainda em sua infância. Ela se mostra, dança e encanta por alguns trocados para Guido e seus amigos. Mas devo confessar que em "Be Italian" ela e todas as mulheres que dançam com ela dão um show! Mais uma aula para as mulheres do mundo. Cena brilhante.


A direção de Rob Marshall é impecável! Cada ator, personagem está ali dando seu melhor.  Cada olhar, lágrima, sorriso, cada abertura de pernas parece encantar a câmera. Tudo é mágico na atuação destas feras.
O figurino de Colleen Atwood ( que também foi responsável por "That thing you do!", "Sweeney Todd", "Chicago", "Big Fish", "Alice in Wonderland" e muitos outros) é esplêndido. Como de costume. A Colleen se afirmou como "A" grande figurinista do cinema americano. Ela é sempre genial. E confirmou isso em 2006 quando ganhou seu segundo Oscar, por "Memórias de uma Geisha".


Uma atenção especial deve ser dada a trilha sonora, que é exatamente o que se vê durante o filme. E sim, as músicas são cantadas pelo próprio elenco. 


Bom, era isso. Certamente se tornou meu parte do meu Top 5 Movies. E a cada vez que assisto uma cena, aprendo algo mais empolgante. Todas as mulheres deveriam ver este filme. Fica a dica. Novamente.


Bons filmes!

Um comentário:

tiagozaniratti disse...

quero assistir. A penélope é tipo vinho. Quando mais envelhece, melhor fica.

Espalhe isso

Outros vizinhos: